Hering

SÃO PAULO – Surpreendendo a muitos do mercado, a Cia. Hering (HGTX3) informou na noite da última quarta-feira (14) que recusou uma proposta não solicitada de fusão feita pela rival Arezzo (ARZZ3), num momento em que empresas de moda no Brasil têm sido seriamente afetadas pelas medidas de isolamento social tomadas para conter a pandemia da Covid-19.

Após a notícia, os analistas do Credit Suisse avaliaram que, mesmo recusada, a proposta levaria à disparada das ações HGTX3, que foi o que aconteceu. Depois de 18 minutos em leilão, os ativos HGTX3 abriram com um salto de 20,35%, a R$ 20,61, às 10h18 (horário de Brasília). Por outro lado, eles tinham uma incerteza maior para os papéis da ARZZ3 que, contudo, também abriram em forte alta, ainda que mais modesto. No mesmo horário, os ativos avançavam 5,50%, a R$ 78,81.

“Apesar de um forte compromisso com fusões e aquisições, além de crescimento, a Cia Hering pode ser uma empresa difícil de digerir [para a Arezzo]. Dito isso, acreditamos que os investidores devem se concentrar mais no lado positivo”, avaliaram.

Em comunicado, a Cia. Hering destacou que “o conselho de administração da companhia, com assessoria do BR Partners e Machado, Meyer, Sendacz e Opice Advogados, decidiu por unanimidade (…) rejeitar a proposta, por considerar que ela não atende ao melhor interesse dos acionistas e da própria companhia”.

Segundo o documento, a Cia. Hering manterá seu plano estratégico de combinar construção de marcas e expansão, com a busca por crescimento orgânico, e análise de “oportunidades inorgânicas”.

Mesmo com maiores esforços para ampliar as vendas por canais digitais, a varejista de roupas Cia Hering viu sua receita líquida cair 31% em 2020 em relação ao ano anterior, dado que suas 758 lojas ficaram fechadas durante vários meses na esteira de medidas de isolamento social para conter a pandemia. Já a Arezzo, mais concentrada em calçados femininos, foi beneficiada por maiores vendas online e por exportações, tendo queda da receita de apenas 4%.

Segundo dados da Refinitiv, a Arezzo tinha no fechamento dos negócios da última quarta-feira na B3 valor de mercado de R$ 7,36 bilhões, enquanto o da Hering era de R$ 2,75 bilhões.

A princípio, os valores da proposta da Arezzo pela Cia. Hering não tinham sido divulgados mas, em comunicado ao mercado na manhã desta quinta, a companhia revelou os números.

A proposta de combinação de negócios enviada pela Arezzo era de que os acionistas da Hering receberiam R$ 1,29 bilhão em dinheiro e ficariam com 21,17% da companhia resultante da fusão. A relação de troca — 0,1686 novas ações ON da Arezzo para cada ON da Hering — equivale a um prêmio de 20% sobre o preço médio ponderado por volume da ação da Hering nos 90 dias anteriores a proposta.

Conforme destacou em relatório o Credit Suisse, nos últimos meses, a Arezzo & Co transmitiu ao mercado uma mensagem mais agressiva sobre fusões e aquisições (como com a aquisição da Reserva em outubro de 2020), mas este movimento estava totalmente fora do radar dos investidores.

Agora é hora de pensar nas próximas etapas. “A nosso ver, existem alguns pontos a serem considerados: 1) A Cia Hering passou a ser vista como um alvo de fusões e aquisições, o que, para uma ação deprimida, deve levar a uma importante reação positiva do preço das ações; 2) além disso, há possibilidades de elevação na proposta feita pela Arezzo & Co, o que deve dar mais suporte às ações da Cia Hering; 3) não vemos uma aquisição hostil como muito provável neste momento, dado o bom relacionamento entre as duas famílias fundadoras e principalmente devido ao fato de que uma operação de fusão e aquisição como esta é altamente dependente das negociações entre as pessoas envolvidas no processo”, apontam Victor Saragiotto e Pedro Pinto, analistas do Credit. Eles destacam ainda que a Arezzo & Co atua em uma categoria e posicionamento diferentes e, caso perdesse parte da gestão da Cia. Hering., a equipe não seria ideal à primeira vista.

Para Saragiotto e Pinto, excluindo os desafios potenciais para abarcar um grande negócio como a Cia. Hering, o momento desta transação não poderia ser melhor para a Arezzo & Co, com ARZZ3 perto das máximas históricas, enquanto HGTX3 ainda está cerca de 30% abaixo dos níveis pré-pandêmicos, proporcionando uma relação de troca bastante atrativa para os acionistas da Arezzo.

Neste cenário, as maiores dúvidas estão na linha de entender a disciplina de preços da Arezzo (e assim, entender também até onde a empresa iria com potenciais elevações de propostas) e qual o motivo de a Hering não ter deixado espaço para negociação.

“Se o preço proposto não foi satisfatório para a diretoria da Cia. Hering, por que eles não forneceram qualquer margem de negociação?”, questionam os analistas. De qualquer forma, a expectativa é de que as negociações não parem por aí.

(com Reuters)

Quer entender o que é o mercado financeiro e como ele funciona? Assista à série gratuita Carreira no Mercado Financeiro e conheça o setor da economia que paga os melhores salários de 2021.

The post Ação da Cia. Hering salta mais de 20% com proposta de fusão (negada) da Arezzo; Credit aponta que história não chegou ao fim appeared first on InfoMoney.