SÃO PAULO – Com uma sessão novamente de alta para o Ibovespa, que voltou a operar acima dos 113 mil pontos, quem ganha destaque são as ações de empresas de commodities ligadas ao petróleo e minério de ferro, que registram forte alta.

Os papéis da Petrobras (PETR3;PETR4) seguem a alta da véspera e avançam entre 2,5% e 3% com o movimento do petróleo, assim como os ativos da PetroRio (PRIO3). Os contratos futuros do brent com vencimento para fevereiro chegaram a subir para pouco menos de US$ 50 por barril esta sexta-feira, com os principais produtores a acordarem um compromisso para aumentar ligeiramente a produção a partir de Janeiro, mas mantêm a maior parte das restrições de oferta existentes para lidar com a procura afectada pelo coronavírus. O WTI também avança, com ambos os benchmarks estão a caminho da quinta semana consecutiva de ganhos.

A OPEP e a Rússia concordaram na quinta-feira em aliviar os cortes profundos na produção de petróleo a partir de Janeiro em 500.000 barris por dia com aumentos mensais ainda não definidos, não conseguindo chegar a um acordo sobre uma política mais ampla para o resto de 2021.

Com altas ainda mais expressivas, estão as siderúrgicas, como a CSN (CSNA3), que chega a saltar 7%, com Vale (VALE3) e Usiminas (USIM5) também avançando quase 4% em meio à disparada do minério de ferro, que voltou aos níveis de 2013.

Fora do índice, entre as quedas, a Neoenergia (NEOE3) cai cerca de 4% após vencer o leilão da privatização da CEB-D. A empresa ofereceu R$ 2,515 bilhões em lance vencedor, o que representou um ágio de 76,63% em relação ao valor mínimo de R$ 1,4 bilhão e superou as concorrentes CPFL Energia e Equatorial.

Os termos da vitória da Neonergia na disputa, contudo, não agradaram o Credit Suisse, pois os múltiplos implícitos não deixam espaço para muitos upsides, avaliam os analistas, mesmo com grandes ganhos potenciais em perdas e custos. “A empresa precisa detalhar premissas e explicar a estratégia de alocação de capital”, avaliam os analistas.

Confira mais destaques.

Eletrobras (ELET3;ELET6)

O ministro Bento Albuquerque (Minas e Energia) disse na noite desta quinta, durante transmissão semanal do presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais, que acredita na capitalização da Eletrobras em 2021. Acreditamos que será [aprovado o Projeto de Lei], já conversamos com deputados e senadores e tem tudo para ser aprovado no ano de 2021 e nós realizarmos, não diria a privatização, mas uma venda da Eletrobras“, disse o ministro, complementando: “vai ser capitalizada, vai virar uma grande empresa de energia”.

O governo anunciou na última quarta-feira a meta de realizar nove privatizações em 2021, esperando concluir a venda dos Correios e da Eletrobras.

Segundo o jornal Valor Econômico, mesmo com resistências do Congresso ao projeto de lei que autoriza o governo a ceder o controle da Eletrobras, por meio de uma capitalização feita exclusivamente pelos acionistas privados, a equipe econômica já faz planos mais ousados para o futuro da empresa e com impactos na gestão da dívida pública.

A estratégia da equipe de Paulo Guedes, ministro da Economia, é promover, em 2022, a venda no mercado das ações da Eletrobras que ainda vão ficar nas mãos da União e do BNDES – bem como da BNDESPar. Essa operação, que viria na sequência da chamada pública de capital (follow on), é tida  como uma espécie de “fase 2” da privatização e renderia quase R$ 62 bilhões. O governo ficaria apenas com uma “golden share” para manter o poder de veto em decisões estratégicas.

Vale (VALE3) e siderúrgicas 

Os novos recordes para o minério de ferro seguem sendo destaque no noticiário. O preço do minério à vista negociado na China subiu US$ 7,50 a tonelada, com o teor de 62% Platts IODEX atingindo US$ 145,3 a tonelada, no maior nível desde março de 2013.

O Itaú BBA ressalta que a alta é resultado  da demanda mais forte da China, com os níveis de produção de aço renovando recorde de alta e o aumento menor do que o esperado na oferta em 2021, seguindo o guidance de produção para o próximo ano entre 315 milhões e 335 milhões de toneladas (ante a expectativa de mercado de 340 milhões de toneladas.

A alta do minério é destacada como positiva para Vale, CSN e Usiminas, destacando que a Vale ainda negocia com um desconto entre 35% e 40% ante os pares australianos, o que o Itaú BBA classifica como exagerado.

Ainda no radar dos mercados, o BB Investimentos elevou o preço-alvo para o papel da Vale de R$ 78 para R$ 99 e dos ADRs de US$ 15 para US$ 19, com recomendação de compra, destacando os preços do minério de ferro mais altos que os projetados anteriormente, melhora na visibilidade em termos de processos ambientais e de governança pós-Brumadinho e projeção de maiores lucros e de mais pagamentos de dividendos.

Ambev (ABEV3)

A Ambev vai investir R$ 255 milhões em sua cervejaria de Pernambuco para ampliar a capacidade de produção de cervejas puro malte e uma nova linha de envase de latas para abastecer o Norte e Nordeste.

Em 2021, a Ambev passará a ser a cervejaria com a maior capacidade de produção de puro malte no Norte e Nordeste, aumentando a capacidade de produção de cervejas como Stella Artois, Skol Puro Malte, Bohemia, Brahma Extra e Brahma Duplo Malte. A linha de lata terá capacidade de produzir 120 mil latas por hora, sendo a linha mais inovadora da América do Sul, projetada com tecnologias da indústria 4.0, informou a companhia. Na última década, a Ambev investiu mais de R$ 1,5 bilhão na unidade de Itapissuma. O governador Paulo Câmara visita a unidade nesta sexta para o anúncio.

“Não vemos este investimento de  R$ 255 milhões como relevante para as ações da Ambev, embora haja destaque no foco crescente da empresa no segmento de malte puro emergente no Brasil (compreendendo mais marcas mainstream premium e também marcas premium). Dito isso, a alta participação de mercado que a reportagem [do Valor, anterior ao anúncio oficial] destaca que a Heineken detém no segmento premium no Nordeste (66%) chamou nossa atenção, destacando que os desafios competitivos da Ambev são maiores no segmento premium de crescimento mais rápido”, avalia o Bradesco BBI, que mantém recomendação neutra para o papel ABEV3, com preço-alvo de R$ 15,50. Veja mais sobre as perspectivas para a ação clicando aqui. 

Neoenergia (NEOE3)

A Neoenergia , representada pela Bahia Geração de Energia, venceu o leilão pela distribuidora de energia elétrica CEB-D, que atende aos consumidores do Distrito Federal. A empresa ofereceu R$ 2,515 bilhões em lance vencedor, o que representou um ágio de 76,63% em relação ao valor mínimo de R$ 1,4 bilhão e superou as concorrentes CPFL Energia e Equatorial.

Na primeira etapa do leilão, de abertura dos envelopes com as propostas econômicas, a Neoenergia já havia apresentado o melhor lance, de R$ 2,2 bilhões, dando uma mostra de seu apetite. A CPFL Energia (CPFE3) ofereceu lance de R$ 1,95 bilhão, nesta etapa, enquanto Equatorial Energia propôs R$ 1,485 bilhão.

Conforme estabelecido no edital, foi aberta segunda fase de ofertas, com lances a viva-voz e CPFL Energia e Neoenergia seguiram em intensa disputa, impulsionando o ágio. Equatorial, embora pudesse, não chegou a apresentar lances nesta fase.

A grande surpresa do leilão foi a ausência da Enel. O grupo italiano era visto por especialistas no setor elétrico como grande favorito, tendo em vista o maior potencial de sinergias, já que opera a concessionária de distribuição de Goiás, atual Enel Goiás, que circunda a área de concessão da CEB-D. No entanto, semana passada o presidente global do grupo, Francesco Starace, já havia sinalizado que poderia ficar de fora da disputa.

Starace comentou que a operação brasileira tinha desbalanceamento entre as operações da companhia nos segmentos de geração e distribuição, e no momento a empresa precisa adicionar mais ativos geração. Além disso, ele comentou que, embora seguisse avaliando potenciais ativos de distribuição, nem todos seriam do interesse da companhia, “seja por conta da posição no País ou porque talvez há expectativas irreais do lado vendedor”. Havia comentários de que o valor mínimo proposto já estaria elevado.

A CEB-D possui cerca de 1,1 milhão de clientes em uma área considerava atraente, tendo em vista a alta densidade populacional e o alto poder aquisitivo, com PIB per capita quase 2,5 vezes a média brasileira.

Os termos da vitória da Neonergia na disputa, contudo, não agradaram o Credit Suisse, pois os múltiplos implícitos não deixam espaço para muitos upsides, avaliam os analistas, mesmo com grandes ganhos potenciais em perdas e custos. “A empresa precisa detalhar premissas e explicar a estratégia de alocação de capital”, avaliam os analistas.

Copel (CPLE6)

A elétrica paranaense Copel concluiu nesta semana um plano de demissão incentivada (PDI) com o desligamento de 311 funcionários, informou a empresa em comunicado, anunciando também o lançamento de um novo PDI.

De acordo com a empresa, o plano encerrado na última terça-feira possui perspectiva de redução de custo anual de R$ 68,1 milhões, enquanto o montante das indenizações totalizou R$ 36,6 milhões, sendo desligados 196 empregados da Copel Distribuição, 71 da Copel GeT, 31 da Copel Holding, 12 da Copel Telecom e um da Copel Comercialização, acrescentou a companhia.

O novo PDI, por sua vez, é destinado a funcionários lotados no call center da Copel Distribuição que atuem nas funções de monitor de teleatendimento, monitor de suporte de teleatendimento e teleatendente, disse a empresa, que vê 375 empregados enquadrados nos requisitos de adesão.

O Credit Suisse avalia os desligamentos como “levemente positivo”, à medida que o plano foi concluído próximo ao seu potencial total. O Credit Suisse diz que o novo programa deve poupar R$ 20 milhões por ano a partir de 2022.

Petrobras (PETR3;PETR4)

O noticiário sobre venda de ativos continua no radar da Petrobras. Em comunicado, ela informou que concluiu a fase de negociação com o Grupo Mubadala no âmbito do processo para desinvestimento da Refinaria Landulpho Alves (RLAM), na Bahia.

“Conforme prevê a Sistemática de Desinvestimos da Petrobras, o processo está, atualmente, em fase de nova rodada de propostas vinculantes. Nesta nova rodada a Petrobras solicitou a todos os participantes que submeteram propostas vinculantes, inclusive o Grupo Mubadala, que apresentem suas ofertas finais com base nas versões negociadas dos contratos com o Mubadala. A Petrobras espera receber essas ofertas em janeiro de 2021”, destacou.

Já em relação à Refinaria Lubrificantes e Derivados do Nordeste (LUBNOR) e à Unidade de Industrialização do Xisto (SIX), a companhia informa que também já recebeu propostas pelos dois ativos.

O jornal O Globo, por sua vez, informa que a estatal fará uma nova licitação para a venda do polo de Urucu, localizado na Bacia do Solimões (AM).  Segundo o colunista Lauro Jardim, a 3R, que no certame anterior fez uma oferta de US$ 1,1 bilhão (contra uma oferta de US$ 600 milhões feita pela Eneva), não conseguiu apresentar as garantias bancárias da operação.

Em esclarecimento à notícia divulgada pelo jornal, a companhia afirmou que recebeu propostas vinculantes da 3R Petroleum e da Eneva que estão em etapa de avaliação pela companhia, o que subsidiará a sua tomada de decisão acerca dos próximos passos do desinvestimento.

“Com relação aos valores veiculados na mídia de US$ 1 bilhão e US$ 600 milhões, a Petrobras esclarece que eles guardam proximidade com as parcelas firmes das propostas. A Petrobras informa ainda que leva em consideração na análise das ofertas todas as componentes de valor e demais condições refletidas nas propostas, incluindo pagamentos firmes, pagamentos contingentes e outras condições contratuais relevantes, de tal forma que os valores veiculados na mídia não proporcionam uma base suficiente para comparação das ofertas recebidas”, destacou.

Segundo ela, a depender do resultado dessa avaliação, a companhia poderá promover nova rodada de solicitação de propostas vinculantes a todos os participantes do processo, com base na Sistemática de Desinvestimentos.

A Petrobras esclarece ainda que a Sistemática de Desinvestimentos prevê somente a divulgação ao mercado das seguintes etapas do processo: teaser, início da fase não vinculante, início da fase vinculante, celebração de acordo de exclusividade (quando aplicável), signing e closing.

Gol (GOLL4)

A Gol divulgou as prévias operacionais do mês de novembro. A companhia aérea registrou queda na demanda de passageiros de 43,8% em relação ao mesmo mês do ano passado, enquanto a oferta recuou 46,3% na mesma base de comparação. Assim, a taxa de ocupação teve alta de 3,7 pontos porcentuais no período, para 84,5%.

No acumulado em 11 meses, a demanda tem recuo de 53,6% na comparação com 2019, enquanto a oferta recuou 52,4%. A taxa de ocupação nesta ano é 2,1 pontos menor, em 79,9%.

Em novembro, a Gol não realizou voos internacionais. No mercado doméstico, houve queda de 39,3% na oferta, e de 37,3% na demanda. A taxa de ocupação cresceu 2,7 pontos, para 84,5%.

No acumulado de 2020, a oferta nos voos domésticos tem queda de 49%, enquanto a demanda cai 50,4%. Assim, a taxa de ocupação caiu 2,3 pontos, para 80,6%.

Itaú Unibanco (ITUB4)

O Itaú Unibanco informou a emissão de R$ 2,1 bilhões em letras financeiras, com opção de recompra a partir de 2025.

CSN (CSNA3)

A abertura de capital da CSN Mineração, subsidiária de mineração da CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) faz com que o atual presidente, Benjamin Steinbruch, 67, fale sobre sua sucessão. Ele está há quase duas décadas à frente da empresa, controlada pela sua família.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, o assunto teria surgido em conversas com potenciais investidores, que tinham dúvidas sobre o planejamento sucessório.

Segundo fontes citadas pelo Estadão cujos nomes não foram divulgados, a sucessão deve ocorrer em três anos, após Steinbruch completar 70. A filha mais velha, Victoria, é apontada como provável sucessora.

Marfrig (MRFG3)

Nesta sexta, a Marfrig anunciou a criação de um novo departamento de inovação e novos negócios, que será comandado pelo executivo Rafael Braz, que reportará diretamente a Miguel Gularte. O novo departamento deve supervisionar a inovação tecnológica na Marfrig, seus modelos de negócios e estimular novos negócios para que contribuam com o crescimento da empresa.

A Marfrig também anunciou que Eduardo Puzziello passará a ocupar o cargo de gerente de relações com investidores, reportando diretamente ao CFO e IRO Tang David.

Santos Brasil (STBP3)

Com as negociações da renovação do contrato com Hamburg Sud tendo começado, os analistas do Bradesco BBI analisaram os potenciais resultados dessa renovação para a Santos Brasil, mantendo recomendação outperform (desempenho acima da média para a ação) e elevando o preço-alvo de R$ 7 para R$ 10, o que configura um potencial de valorização de 104% em relação ao fechamento de R$ 4,90 da última quinta-feira.

Nos três dos quatro potenciais cenários, o papel tem potencial de valorização  bastante atrativo.  Na avaliação do Bradesco BBI, o movimento pode elevar em 50% o frete pego pela Hamburg Süd, que em troca assegura capacidade de crescimento por entre 5 e 10 anos. O banco ressalta que não há nenhum outro ator no mercado com capacidade disponível para servir completamente a Hamburg Süd.

Tendo isso em vista, o Bradesco BBI atualizou seu modelo de valorização da Santos Brasil para incorporar o aumento do frete pago pela Hamburg Süd, elevando a estimativa para o Ebitda [lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações] em 2021 e 2022 em 13% e 20% respectivamente.

Na avaliação do banco, o Ebitda de 2021 pode ser elevado em R$ 313 milhões, 26% acima da expectativa do mercado.

O papel precifica, entretanto, um evento de “deal break” improvável, com volume total 12% para baixo em 2021, avalia o BBI, destacou que a ação negocia a um múltiplo atrativo de 11,5 vezes o valor da empresa sobre o Ebitda esperado para 2021, um desconto de 28% para a média histórica.

Oi (OIBR3;OIBR4)

Em recuperação judicial, a Oi tem como meta ter, em dois anos, 100% de sua energia fornecida a partir de fontes renováveis, destaca o Estadão. O grupo deve encerrar 2020 com o patamar de 60% alcançado, o que teria gerado uma economia de R$ 400 milhões em energia elétrica no ano.

Via Varejo (VVAR3), IRB (IRBR3), Cogna (COGN3)e Notre Dame (GNDI3

Na quinta-feira, a Via Varejo informou que a BlackRock, maior gestora de fundos do mundo, elevou sua participação acionária na empresa para 5%. Assim, a gestora de fundos de investimento passou a deter 79,9 milhões de ações da varejista.

A gestora também adquiriu ações ordinárias de emissão da NotreDame, de modo que as suas participações passaram a ser, de forma agregada, 30.791.073 ações ordinárias, correspondentes a aproximadamente 5,04% do total de ações
ordinárias de emissão da Companhia

Por outro lado, ela diminuiu sua participação acionária no IRB para 2,84%. Com isso, a gestora passou a deter 36 milhões de ações da resseguradora.

A BlackRock também diminuiu sua participação acionária na Cogna para 3,21%. Com isso, passou a deter 60 milhões de ações ordinárias e 54 mil ADRs da companhia.

“O objetivo da participação acionária acima mencionada é estritamente de investimento, não tendo como fim alteração do controle ou da estrutura administrativa”, informou a BlackRock.

Camil (CAML3)

O Conselho de Administração da Camil anunciou a aprovação do pagamento de juros sobre capital próprio (JCP) e dividendos no valor de R$ 170 milhões: são R$ 20 milhões em JCP e R$ 150 milhões em dividendos referente ao segundo trimestre de 2020.

Ânima (ANIM3)

O Conselho de administração da Ânima aprovou o preço de R$ 34,00 por ação mediante a emissão de 27 milhões de novas ações no follow on da empresa, aumentando o capital em R$ 918 milhões, passando para R$ 2,56 bilhões.

Energisa (ENGI11)

A Rede Energia convocou nova assembleia para avaliação do valor justo na oferta de aquisição de ações (OPA) da Energisa: a a assembleia será realizada no dia 18 de dezembro deste ano.

Carrefour Brasil (CRFB3)

O Carrefour Brasil anunciou nesta quinta-feira que concluiu a compra ou locação de 4 lojas (sendo 3 próprias e 1 alugada) e 2 postos de combustíveis da rede Makro, negócio pelo qual pagou R$ 247,4 milhões.

As demais lojas e postos de gasolina da operação anunciada em fevereiro serão transferidas logo que forem concluídos processos em cartórios de registro de imóveis.

Dasa (DASA3)

O Grupo Dasa anunciou na noite de quinta a aquisição da rede de hospitais Leforte, em São Paulo. O valor da transação foi de R$ 1,77 bilhão. A operação compreende oito ativos, incluindo os hospitais Leforte Morumbi, Leforte Liberdade e Hospital e Maternidade Christovão da Gama, além de clínicas gerais e uma especializada em pediatria.

Após a compra, a companhia passará de dois para cinco hospitais na região metropolitana de São Paulo, e expandirá os leitos de internação de 2,1 mil para 2,6 mil. O faturamento combinado dos negócios soma quase R$ 9 bilhões, e a fusão fará com que o grupo tenha mais de 40 mil funcionários.

Na avaliação do Bradesco BBI, o segmento de hospitais é cada vez mais central para a Dasa. A aquisição do grupo Leforte transforma a empresa em uma das maiores redes de hospitais. O banco avalia, no entanto, o preço pago por leito, de R$ 3,5 milhões como muito acima dos cerca de R$ 1 milhão pagos pelas concorrentes Hapvida e GNDI.

Sabesp (SBSP3)

A Arsesp (Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo) adiou para maio de 2021 o reajuste das tarifas em Santo André, Mauá, Guarulhos e Tapirituba. Os ajustes estavam inicialmente previstos para janeiro, março e abril de 2021.

O Credit Suisse avalia a notícia como neutra, ressaltando que o regulador deve também determinar uma compensação total pelo adiamento.

Hypera Pharma (HYPE3)

A Hypera Pharma anunciou na quinta a aquisição da Simple Organic, marca de cosméticos naturais, orgânicos e veganos, por meio do Hypera Ventures, programa corporativo de venture capital da empresa. O valor da transação não foi divulgado. O fundo pretende investir até R$ 200 milhões em startups nos próximos anos.

A Simple Organic foi fundada em Florianópolis, e atua no mercado de cosméticos desde 2017. A companhia inaugurou o primeiro modelo de franquias do segmento de beleza natural no Brasil.

A Simple Organic também confirmou que investirá no Amazon lab, um programa de regeneração da Floresta Amazônica, a partir de ações e projetos que visam a construção de cidades inteligentes e sustentáveis.

Na avaliação do Bradesco BBI, a compra da Simple Organic pela Hypera Ventures é um primeiro passo para a empresa mostrar que é capaz de trabalhar bem no meio digital, que pode se mostrar um canal importante para a empresa, que busca eficiência no mercado. Atualmente, 55% de seus gastos em marketing são em anúncios na TV.

Hermes Pardini (PARD3)

O Instituto Hermes Pardini anunciou na quinta uma parceria com a startup Speedbird Aero para desenvolver logística de transporte de amostras biológicas por meio de drones, assim como para obter liberações de Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), e de Vigilâncias Sanitárias Estaduais e Municipais.

A startup é a primeira da América Latina a utilizar drones para o transporte aéreo de produtos e medicamentos, com capacidade de até 8kg. A empresa faz entregas com drones desde 2018.

O Bradesco BBI diz avaliar que a parceria parece interessante porque drones podem aumentar a eficiência logística. Fretes custam cerca de 10% dos custos da Pardini, diz o banco. A capacidade de oferecer seus serviços mais rapidamente pode também representar uma grande vantagem competitiva para a empresa, diz o Bradesco. O banco reiterou recomendação outperform, com preço-alvo em R$ 32, frente os R$ 23,59 do fechamento da véspera.

Panvel (PNVL3)

A Panvel anunciou que teve alta de vendas digitais de 75% na Black Friday em comparação com o mesmo período do ano anterior. O valor médio gasto pelos compradores teve alta de 54%, e o número de clientes subiu 33%, na mesma comparação.

Na avaliação do Bradesco BBI, os resultados indicam que a empresa está consolidando o uso de suas aplicações. O banco também avalia que a criação de um novo espaço para armazenamento em São Paulo pode levar a empresa a realizar entregas mais rápidas e mais vendas digitais para além do Sul, onde a maior parte das lojas está localizada. O banco reitera a avaliação de outperform para a empresa, com preço-alvo de R$ 36, frente os R$ 22,75 atuais.

Afya (NASDAQ: AFYA) e Yduqs (YDUQ3)

O Morgan Stanley comentou os resultados da Afya no terceiro trimestre. O banco avalia que a alta de 2,75% na margem Ebitda, de 47%, foi forte, impulsionada pela maturação maior e expansão mais rápida de negócios na área médica, além uma boa integração de empresas por meio de fusões e aquisições. O avanço foi 4% maior do que a estimativa do banco e 9% maior do que aquela do mercado.

O banco diz que o aumento de 50% na receita indica a resiliência do segmento de medicina, e diz que a empresa tem um dos melhores balanços no setor E avalia que a meta para o segundo semestre de 2020 parece ser alcançável.

No setor de educação, o banco diz preferir empresas focadas em medicina, como a Afya, ou com boas perspectivas de crescimento por meio de fusões e aquisições. Por isso, recomenda como outperform a Afya, com preço-alvo das ADRs em US$ 27,5, frente os US$ 25,38 atuais. E a Ydus, com preço-alvo de R$ 41, frente os R$ 37,04 atuais.

Construtoras

A Câmara concluiu na noite de quinta a votação da medida provisória da Casa Amarela e o texto segue agora para o Senado. Todos os destaques ao texto foram rejeitados.

Antes, os deputados aprovaram o texto-base da MP, substituto do Minha Casa Minha Vida. O relatório do deputado Isnaldo Bulhões Jr. (MDB-AL) foi aprovado por 367 votos favoráveis, contra 7.

O Congresso tem até 2 de fevereiro do próximo ano para concluir a tramitação da medida sem que ela perca a validade. O prazo já considera o recesso parlamentar que ocorre entre 23 de dezembro e 1º de fevereiro.

(com informações da Agência Estado, Reuters e Bloomberg)

 

É possível operar com apenas R$ 25? Analista mostra como fazer primeiro trade, bater metas de ganhos diários e controlar riscos. Inscreva-se de graça!

The post Ações de Petrobras, Vale, CSN e Usiminas sobem forte com alta de commodities; Neonergia cai 4% após vencer leilão da CEB-D appeared first on InfoMoney.