Notas de dólar

Com regras rigorosas, o Brasil não deve ser impactado, ao menos por ora, pelo novo escândalo bancário envolvendo gigantes como HSBC e Deutsche Bank em transações ilícitas no valor de US$ 2 trilhões, avalia uma fonte do Banco Central.

Um eventual reforço nas normas globais de prevenção à lavagem de dinheiro, porém, poderia ter reflexos por aqui, como tem ocorrido nos últimos anos.

“Não vejo grandes impactos por ora, a menos que isso tenha sido um gatilho para outras crises lá fora”, diz a fonte do BC. “Por aqui, nossas regras são rigorosas e nossa supervisão é boa.”

As normas de prevenção à lavagem de dinheiro foram recentemente atualizadas no Brasil. Entra em vigor no próximo mês circular do BC que torna mais dura a regulamentação sobre procedimentos e controles internos a serem adotados pelos bancos no País.

Conforme circular do BC, foram aprimorados os procedimentos destinados a conhecer os clientes.

Assim, os bancos têm de cruzar as informações de identificação, a qualificação e a classificação de seus correntistas, perfil de risco, natureza do negócio, com a política de prevenção à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo e com a avaliação interna de risco da instituição.

Procurado oficialmente, o BC não se manifestou.

Do Zero ao Gain: intensivo gratuito de 4 dias com André Moraes ensina como extrair seu primeiro lucro na Bolsa. Clique aqui para se inscrever

The post Brasil não deve ser impactado, por ora, pelo novo escândalo bancário de US$ 2 tri envolvendo gigantes appeared first on InfoMoney.