Kroton passa a se chamar Cogna

CONDADO DA FARIA LIMA – A Studio Investimentos encerrou uma posição “short” (quando você ganha com a queda das ações) muito vencedora em Cogna (COGN3). Desde que foi montada a operação, em julho, a ação caiu quase 50%, informa a gestora em relatório sobre o resultado dos fundos em novembro.

Na época que abriu o “short” em Cogna, o gestor e fundador da Studio, Breno Guerbatin, contou ao Stock Pickers os 4 motivos que o fizeram montar a operação (reveja a entrevista após o final do texto).

No relatório divulgado hoje, a gestora recorda que a Cogna passava na época por um momento de grande euforia e “com elevada presença de pessoas físicas, influenciadas por discussões frequentes nas redes sociais em meio ao processo de abertura de capital na Nasdaq da sua subsidiária de Sistemas de Ensino, a Vasta”. Somente em julho, COGN3 chegou a subir mais de 40% na B3, na hipótese de que o IPO geraria um valor adicional à empresa.

A Studio não concordava com isso: “os números da Vasta já estavam consolidados no resultado da Cogna e separá-los não possibilitaria nova geração de valor, tampouco aumento de lucro da Cogna ou mudança relevante nas projeções de resultados para frente”. Vale lembrar que no dia do IPO da Vasta (30 de julho), as ações da Cogna chegaram a subir na abertura do pregão na B3, mas viraram para forte queda de 12,5%, iniciando ali um longo movimento de queda de R$ 9,80 para até R$ 4,00 em novembro.

Somado a isso, a Cogna vinha mostrando piora nos resultados de Ensino Superior (via Kroton), com queda de 60% na captação de vestibulares presenciais no meio do ano e pressões de preços nas mensalidades tanto no presencial quanto no EAD (ensino à distância).

Como a Kroton ainda era mais de 70% da receita da Cogna, a opinião da Studio é que: “enquanto a Kroton não conseguir fazer o turn around da operação, dificilmente a empresa consolidada conseguirá apresentar retornos razoáveis aos seus acionistas”.

Então, por que zerou o short?
Apesar de definir os desafios de reestruturação da Cogna como “muito grandes”, a Studio optou por zerar a posição short por “não conseguir mais encontrar margem de segurança relevante para seguir carregando uma posição vendida após tão pronunciada queda”. A gestora carioca cita ainda que em dezembro a Cogna pretende lançar um plano completo de reestruturação das operações da Kroton, ao qual o mercado pode dar o “benefício da dúvida”.

Em novembro, o fundo de ações Studio 30 teve rentabilidade de 12,25%, abaixo da alta de 15,90% do Ibovespa. No entanto, o fundo está na frente do índice no acumulado de 2020: +0,7% pra Studio, contra -5,9% do Ibovespa.

Relembre a entrevista feita com o gestor da Studio em agosto:

The post Cogna: gestora encerra posição “vendida” após ação cair 50% em 4 meses appeared first on InfoMoney.