(Bloomberg) — Os próximos dois meses têm potencial de causar estragos no setor de saúde e no mercado, à medida que vários resultados de testes de vacinas para a Covid-19 coincidem com a reta final das eleições presidenciais nos Estados Unidos.

“A perspectiva da vacina acabará minimizando a eleição em termos de impacto no mercado”, disseram estrategistas do Goldman Sachs. Uma vacina antes do que o esperado aumentaria os valores das ações, enquanto um atraso poderia fazer o mercado cair, independentemente do resultado da eleição, segundo análise do banco.

Com autorização de uso de emergência agora prevista para o fim do ano, a FDA, agência que regula fármacos e alimentos nos EUA, convocou reunião na quinta-feira para definir o cenário.

O objetivo principal da agência é buscar endosso público sobre sua posição em relação à diretriz de segurança da vacina para a Covid-19 e reduzir preocupações sobre a politização da aprovação, disse Geoffrey Porges, analista da SVB Leerink, em entrevista.

Resultados de vacinas que lideram a corrida, como a da Pfizer e de sua parceira alemã BioNTech, são esperados nas próximas semanas.

Dados da Moderna podem sair em novembro. E os primeiros dados de estágio final de um regime de dose única, a vacina da Johnson & Johnson, poderiam ser divulgados antes do final do ano. No entanto, o estudo atualmente está suspenso.

Por Dentro dos Resultados
CEOs e CFOs de empresas abertas comentam os resultados do ano. Cadastre-se gratuitamente para participar:

Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.

O mercado de opções mostra expectativa de mais ganhos para as ações da Moderna. O número de opções em aberto em contratos com aposta na alta supera os contratos que esperam baixa, de acordo com dados compilados pela Bloomberg.

Para a Pfizer, as opções de compra superam as de venda em uma proporção de 2 para 1. Embora os contratos com aposta na baixa ainda dominem as opções da BioNTech SE, as negociações estavam mais ativas nas opções de compra recentemente.

“Para as ações, o evento crítico é a declaração de eficácia”, disse Porges. Se uma vacina puder mostrar eficácia de 75% ou mais, “as ações vão subir”, especialmente aquelas que trabalham em vacinas de RNA mensageiro semelhantes, como a Moderna, mas também pares menores, como Arcturus Therapeutics, Translate Bio e CureVac, disse.

Não importa que não criem muito valor, “mas haverá uma percepção de que irão”, segundo Porges. E não são apenas empresas que correm para encontrar tratamentos para a pandemia. Com daytraders no comando – segundo algumas estimativas de 20% a 40% do volume de negócios -, os resultados podem conduzir a um novo rali no mercado acionário.

Eficácia mais baixa

Para alguns, mesmo taxas de eficácia na faixa mais baixa de 60% seriam suficientes para investidores adotarem uma visão otimista sobre o retorno ao trabalho e sobre ações pró-cíclicas, escreveram analistas do Goldman liderados por Asad Haider. Taxas abaixo de 50% certamente desapontarão, alertou, e podem estimular algumas negociações rotativas.

“O progresso ou retrocessos de uma vacina são os determinantes mais importantes da direção do mercado”, disse George Ball, presidente do conselho da empresa de investimentos Sanders Morris Harris, com sede em Houston. O mercado precificou a eleição presidencial dos EUA, e traders ativos já fizeram hedge de suas posições usando opções, afirmou.

Série gratuita do InfoMoney explica a hora certa de entrar e sair de ativos na Bolsa: clique aqui e aprenda como vencer os tubarões do mercado com consistência e segurança

The post Investidores se preparam para impacto de dados de vacinas appeared first on InfoMoney.