JBS Estados Unidos

(Bloomberg) — Um painel da Câmara dos EUA liderado pelos democratas está lançando uma investigação sobre surtos de coronavírus em frigoríficos e se a Administração de Segurança e Saúde Ocupacional (OSHA, da sigla em inglês) aplicou adequadamente as regras de segurança do trabalhador.

O democrata James Clyburn, que preside o Subcomitê da Câmara para a Crise do Coronavírus, enviou cartas nesta segunda-feira para Tyson Foods Inc., Smithfield Foods Inc., e JBS USA para solicitar informações sobre o número de funcionários doentes, fechamentos de instalações, medidas de segurança e políticas de licenças para quando os resultados dos trabalhadores fossem positivos.

Quase 54.000 trabalhadores em 569 frigoríficos no Estados Unidos testaram positivo para Covid-19 e pelo menos 270 morreram, disse Clyburn na carta.

Os frigoríficos “se recusaram a tomar precauções básicas para proteger seus trabalhadores, muitos dos quais ganham salários extremamente baixos e não têm férias remuneradas adequadas, e mostraram um desrespeito implacável pela saúde dos trabalhadores”, afirmam as cartas às empresas.

Keira Lombardo, diretor administrativo da Smithfield disse em um comunicado que a empresa tomou “medidas extraordinárias” para proteger os funcionários que excederam as diretrizes governamentais e que espera corrigir “imprecisões” sobre a disseminação do vírus nos frigoríficos.

A JBS investiu em medidas de segurança e modificações nas instalações e agradece a oportunidade de compartilhar sua resposta à pandemia global e esforços para proteger sua força de trabalho, de acordo com comunicado da empresa.

A Tyson e a OSHA não responderam imediatamente aos pedidos de comentários. A OSHA divulgou na sexta-feira novas diretrizes de segurança no local de trabalho para fortalecer a proteção contra o vírus.

A propagação do vírus fez dos frigoríficos os primeiros focos de disseminação da pandemia nos Estados Unidos, forçando o fechamento temporário das instalações. As empresas do setor gastaram centenas de milhões para instalar divisórias nas estações de trabalho, estações de desinfecção, scanners de temperatura e adição de pessoal médico.

O setor gastou mais de US$ 1,5 bilhão em “proteções abrangentes instituídas desde a primavera”, de acordo com Sarah Little, porta-voz do Instituto Norte-Americano de Carnes.

As penas baixas atraíram críticas dos democratas, incluindo senadores Elizabeth Warren de Massachusetts e Cory Booker de Nova Jersey. Os legisladores apontaram a indústria, um dos primeiros epicentros do coronavírus, como um exemplo de como as empresas falharam em proteger funcionários mal pagos da linha de frente.

Quer ser trader e tem medo de começar? O InfoMoney te ajuda a chegar lá: participe do Full Trader, o maior projeto de formação de traders do Brasil e se torne um faixa preta em 3 meses – inscreva-se de graça!

The post JBS e Tyson enfrentam investigação nos EUA por cuidados com Covid-19 appeared first on InfoMoney.