HONG KONG (Reuters) – A oferta pública inicial de ações da Ant Group, de US$ 35 bilhões, provavelmente não vai sofrer impactos por sanções dos Estados Unidos por causa de sua limitada presença internacional, afirmaram potenciais investidores e analistas.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, está considerando sanções contra a Ant, uma afiliada das gigante chinesa de comércio eletrônico Alibaba, e a Tencent, citando preocupações de ameaça à segurança nacional dos EUA, sem apresentar provas, que as plataformas de pagamento de ambas empresas acarretariam, publicou a Bloomberg na quarta-feira.

Se implementadas, as restrições vão mostrar como Trump tenta impedir que companhias chinesas entrem no sistema financeiro dos EUA e se tornem ameaças competitivas significativas.

A Ant afirmou que não tem conhecimento sobre qualquer discussão com o governo sobre restrições. Tencent e a Casa Branca não comentaram o assunto.

A Ant está trabalhando em uma listagem dupla de ações em Xangai e em Hong Kong possivelmente já neste mês, no que fontes afirmaram que será o maior IPO do mundo, superando a operação promovida pela petrolífera saudita Aramco, de US$ 29,4 bilhões realizada em dezembro.

As plataformas Alipay, da Ant, e WeChat, da Tencent, são usadas principalmente por cidadãos chineses que possuem contas na moeda local renminbi.

“Basicamente, a receita com contas internacionais deve ser 5% ou menos do total da Ant Group. Isso significa que a contribuição da receita dos EUA seria até menos que isso”, disse Chelsey Tam, analista sênior da Morningstar.

“Eu tenho certeza que os investidores vão perguntar sobre isso no roadshow, mas é bem fácil para os investidores entenderem que se Alipay e Wechat ampliarem seus negócios no exterior, os EUA provavelmente não serão a prioridade”, disse Tam.

The post Maior do mundo, IPO de US$ 35 bi da chinesa Ant Group deve passar ileso por sanções dos EUA, dizem analistas appeared first on InfoMoney.