As bolsas europeias e os índices futuros americanos abriram com altas modestas nesta quarta-feira. A cautela dos investidores ocorre em resposta a notícias de que os testes de importantes fabricantes de drogas contra o coronavírus foram pausados nos Estados Unidos, devido a temores sobre a segurança dos tratamentos.

No Brasil, o noticiário político tem como destaque a votação do STF sobre a soltura do líder do PCC André do Rap. A corte vota se mantém a decisão do presidente Luiz Fux que revogou a liminar concedida por Marco Aurélio de Mello, que liberou o criminoso, que fugiu.

Além disso, o governo prorrogou até o fim do ano o programa que permite ao empregador reduzir a jornada de trabalho e o salário do funcionário, e realizou mudanças nas regras para a carteira de motorista.

Vale destacar que a sessão marca o vencimento de opções sobre Ibovespa na B3. Confira no que ficar de olho:

1. Bolsas mundiais

As bolsas europeias e os índices futuros americanos abriram com altas modestas nesta quarta-feira. A cautela dos investidores ocorre em resposta a notícias de que os testes de importantes fabricantes de medicamento e vacina contra o coronavírus foram pausados nos Estados Unidos, devido a temores sobre a segurança dos tratamentos.

Na segunda-feira (12), a Johnson & Johnson anunciou que pausou os testes de sua vacina contra o coronavírus após um participante dos testes adoecer. E, na terça-feira, a farmacêutica Eli Lilly anunciou que pausou os testes de seu tratamento para o coronavírus, baseado em anticorpos, também por preocupações quanto à segurança. A empresa não deu detalhes sobre o que motivou a pausa.

Além disso, a resiliência do vírus na Europa é fonte de preocupação cada vez mais forte, com o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, por exemplo, sendo pressionado a voltar a implementar uma quarentena nacional no país. Ele resiste, optando por medidas mais drásticas apenas em algumas partes do Reino Unido porque o Produto Interno Bruto (PIB) local no segundo trimestre do ano foi um dos mais afetados pela crise econômica gerada pelo surto entre os principais mercados do globo.

Na Europa, o índice Euro Stoxx cai 0,03%. O CAC, de Paris, cai 0,03% e o FTSE MIB, da Itália, registra alta de 0,38%, enquanto o FTSE 100, de Londres, cai 0,05%. O DAX, da Alemanha, cai 0,1%.

Os futuros do S&P 500 têm alta de 0,03%, enquanto os do Dow Jones sobem 0,03%. Os futuros da Nasdaq têm alta de 0,03%.

Um outro fator que contribui para a cautela dos mercados é a demora para a aprovação de um novo pacote financeiro nos Estados Unidos, voltado a aliviar os efeitos causados pelo coronavírus sobre a economia. O último pacote, de US$ 3 trilhões, foi aprovado em maio. Na semana passada, o governo Trump chegou a afirmar que não discutiria um novo pacote até as eleições, em 3 de novembro. Mudou de tom, no entanto, e apresentou uma oferta de US$ 1,8 trilhão na sexta-feira (9).

Nancy Pelosi, representante do partido Democrata, que tem maioria no Congresso, disse, no entanto, que os termos do pacote não abordam preocupações importantes. Ainda na sexta, o porta-voz de Pelosi, Drew Hammil, escreveu no Twitter que “é especialmente preocupante a ausência de um acordo a respeito de um plano estratégico para acabar com o vírus”. Desde então, não houve grandes sinais de avanço quanto à proposta.

Os investidores também acompanham os resultados do Wells Fargo, Bank of America e Goldman Sachs, que devem sair nesta quarta- feira; os números do Morgan Stanley estão programados para quinta-feira.

Enquanto isso, os mercados asiáticos fecharam sem direção definida após o presidente chinês Xi Jinping discursar em Shenzhen. Jinping prometeu hoje apoiar o desenvolvimento do maior “hub” de tecnologia da China. Segundo estrategista-chefe da Axi, Stephen Innes, o líder chinês afirmou que “o plano do país para abrir a economia irá focar tanto em reforma do mercado de capitais quanto em tecnologia”.

No Japão,o Nikkei fechou em alta de 0,11%, enquanto o índice Hang Seng, de Hong Kong, registrou alta de 0,07%, após passar a terça-feira fechado por conta de um alerta de tufão. O Kospi, da Coreia do Sul, caiu 0,94%. Na China, o índice Shanghai fechou em queda de 0,56%.

*Veja o desempenho dos mercados, às 7h20 (horário de Brasília):

Nova York

*S&P 500 Futuro (EUA), +0,03%
*Nasdaq Futuro (EUA), +0,03%
*Dow Jones Futuro (EUA), +0,13%

Europa

*Dax (Alemanha), -0,1%
*FTSE 100 (Reino Unido), -0,03%
*CAC 40 (França), -0,15%
*FTSE MIB (Itália), +0,38%

Ásia

*Nikkei (Japão), +0,11% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), +0,07% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), -0,94%
*Shanghai SE (China), -0,56%

Commodities e bitcoin

*Petróleo WTI, +0,3%, a US$ 40,32 o barril
*Petróleo Brent, +0,16%, a US$ 42,61 o barril

*Bitcoin, US$ 11.430,89, -0,36%

  • Sobre o minério: **Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian fecharam em baixa de 2,38%, cotados a 798,5 iuanes, equivalente hoje a US$ 118,56 (nas últimas 24 horas).
    USD/CNY = 6,74

2. Agenda de indicadores

O IBGE divulga o dado de volume do setor de serviços de agosto às 9h, que deve ter apresentado queda de 10,2% na base de comparação anual, segundo estimativa mediana em pesquisa Bloomberg, após retração de 11,9% na leitura anterior.

Os EUA divulgam às 09h30 os dados de preços ao produtor de setembro. Já dirigentes do Fed, incluindo o vice-chairman Richard, Clarida falam ao longo do dia.

Já a produção industrial da zona do euro cresceu 0,7% em agosto ante julho, numa indicação de que continuou se recuperando dos efeitos da pandemia de coronavírus, ainda que em ritmo bem mais fraco do que nos meses anteriores, segundo dados publicados nesta quarta-feira pela agência oficial de estatísticas da União Europeia, a Eurostat. A variação veio em linha com a expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal.

Atenção ainda para a reação das falas de Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, em entrevista à CNN Brasil. Segundo ele, a volta de recursos estrangeiros para o Brasil, após a saída massiva de investimentos entre março e abril, foi proporcionalmente menor que a de pares estrangeiros em razão da política ambiental. O tema que mais aflige hoje o investidor é o fiscal e é preciso mostrar que o Brasil pode fazer tudo o que precisa dentro de uma trajetória fiscal sustentável. Campos Neto ainda afirmou que alta do dólar foi causada pela situação fiscal e por saídas de dólares relacionadas à queda da Selic.

3. Redução de jornada e salário

O presidente Jair Bolsonaro assinou na noite de terça-feira um decreto que prorroga o programa que autoriza empresas a reduzirem ou suspenderem a jornada e o salário de funcionários. A medida foi instituída por meio de medida provisória em abril, foi prorrogada desde então. A nova prorrogação mantém o esquema até, ao menos 31 de dezembro.

O ministro da Economia Paulo Guedes já havia anunciado que o benefício seria estendido.

Além disso, o presidente Jair Bolsonaro sancionou o projeto de lei que altera o Código de Trânsito Brasileiro, apresentado pelo próprio governo. A nova lei faz com que as multas leves e médias sejam puníveis apenas com advertência, caso o condutor não seja reincidente na infração em questão nos últimos 12 meses, e aumenta a validade da CNH (Carteira Nacional de Habilitação) para dez anos.

Além disso, a lei amplia de 20 para 40 o limite máximo de pontos que o condutor pode acumular antes de ter a CNH suspensa, contanto que os pontos não sejam em decorrência de ao menos uma infração gravíssima nos últimos 12 meses.

O jornal Folha de S. Paulo estampa como reportagem de capa a notícia de que integrantes da cúpula do Ministério da Economia acumulam ganhos com cargos em estatais, a ponto de alguns deles receberem mais de R$ 39,3 mil, o teto do funcionalismo público.

Os ganhos são inflados com o pagamento de jetons, ou seja, remunerações a quem participa de conselhos de estatais. Esse benefício não é considerado salário, e não é formalmente contabilizado para verificar se os funcionários públicos estouram o teto do funcionalismo. A Folha destaca que o projeto de reforma administrativa discutido pelo governo não altera as regras sobre o recebimento de honorários.

4. Ofertas de ações em alta

O valor das ofertas iniciais de ações (IPOs) no mercado brasileiro já é de R$ 94,1 bilhões até 9 de outubro, superando em 4,5 bilhões, nominalmente, toda a captação de 2019.

Apenas em outubro houve quatro ofertas, além das 34 no restante do ano. Há outras cinco operações de IPOs em andamento, e grandes operações que têm chance de serem lançadas neste ano. Dentre elas, a do hospital Rede D’Or, estimada em entre R$ 7,5 bilhões e R$ 10 bilhões, e do banco BV, de R$ 5 bilhões, conforme destaca o Valor.

Além disso, um levantamento do jornal em 24 capitais indica que prefeitos conseguiram aumentar investimentos, que somaram R$ 5,06 bilhões entre janeiro e agosto. É uma alta de 34% em termos reais, em relação ao mesmo período de 2019. O pico de investimentos costuma ocorrer em ano eleitoral, e não foi exceção em 2020, mesmo com a pandemia.

O noticiário do dia volta a ser marcado pelo caso do líder do PCC André do Rap, líder da facção PCC (Primeiro Comando da Capital). Ele foi solto na manhã de sábado (10), com um habeas corpus concedido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello. Horas depois, o presidente do STF, Luiz Fux, revogou a decisão, e determinou o retorno de André do Rap à prisão.

Mas o líder criminoso está foragido desde então. O STF começa a julgar nesta quarta se mantém a decisão de Fux sobre derrubar a liminar de Marco Aurélio Mello.

5. Radar corporativo

Em entrevista ao jornal Valor, o diretor do grupo espanhol Acciona no Brasil, André De Angelo, disse que a companhia pretende investir nos setores de transportes, logística, saneamento e geração de energia renovável. O Acciona é responsável pela construção, manutenção e operação da Linha 6-Laranja do Metrô de São Paulo. Conhecida como “Linha das Universidades”, a Linha 6-Laranja ligará Brasilândia ao centro de São Paulo, percorrendo 15 km. As obras estavam nas mãos de um consórcio dividido entre Odebrecht, Queiroz Galvão e UTC, foram paralisadas em 2016 e retomadas no início de outubro pela Acciona.

Na noite de terça, a Ecorodovias informou que o tráfego consolidado das rodovias sob sua administração caiu 10,8% considerando o período de 16 de março a 11 de outubro, em comparação com o mesmo período de 2019, período em que o país foi afetado pela pandemia do novo coronavírus.

Além disso, o presidente da Visa afirmou na tarde de terça à Reuters que está vendendo serviços de prevenção de fraudes a participantes do PIX, algo que deve ampliar suas receitas. E a CEB (Companhia Elétrica de Brasília), controlada pelo governo do Distrito Federal, informou que acionistas aprovaram na terça-feira a venda de 100% das ações de sua distribuidora CEB-D.

(Com Bloomberg e Agência Estado)

Quer aprender a fazer trades rápidos? Analista disponibiliza treinamento gratuito de scalping por tempo limitado – clique aqui para participar!

The post Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta quarta-feira appeared first on InfoMoney.