Com uma sessão sem grandes catalisadores para as bolsas mundiais, o dia é de leve queda para os principais índices mundiais, com os investidores à espera da temporada de resultados com início nesta semana na Europa e nos EUA e tendo um movimento de correção após muitos deles atingirem recordes na semana passada.

Atenção para a entrevista de Jerome Powell, presidente do Federal Reserve, para o programa da CBS “60 Minutes”. Ele disse que a economia dos Estados Unidos está em um “ponto de inflexão”, com expectativas de que o crescimento e as contratações acelerem nos próximos meses, mas alguns riscos permanecem, especialmente qualquer ressurgimento da pandemia de coronavírus.

Por aqui, o radar corporativo é movimentado, com atenção para a precificação da oferta secundária de debêntures participativas da Vale, que serão vendidas pelo BNDES e pela União – será precificada hoje. Ocorre também assembleia geral extraordinária (AGE) para definir os novos membros do conselho de administração. Confira os destaques:

1.Bolsas mundiais

Os índices americanos têm tendência de queda nesta segunda-feira. As bolsas europeias têm movimento misto, enquanto  as bolsas asiáticas fecharam em quedas, após um final de semana marcado por uma fala do presidente do banco central dos Estados Unidos, Jerome Powell, a uma TV americana.

Na semana passada, os índices S&P500 e Dow Jones Industrial Average voltaram a bater recordes. Nesta segunda, índices futuros atrelados aos maiores índices americanos recuam nas negociações de pré-market.

Em entrevista no domingo, o presidente do Fed, Jerome Powell, afirmou ao programa 60 Minutes, da CBS, que a economia dos Estados Unidos estaria em um “ponto de inflexão”, com a expectativa de que contratações e crescimento sejam retomados rapidamente. Mas ainda há riscos de que a reabertura apressada resulte em uma alta prolongada de casos de Covid.

Powell afirmou que seria “extremamente improvável”que o Banco Central busque elevar as taxas de juros “em algo como este ano”.

As bolsas asiáticas tiveram em sua maioria perdas, com destaque para as ações indianas, que recuam em meio a uma ressurgência de Covid no país. O índice MSCI, que reúne ações da Ásia e do Pacífico fora o Japão, recuou mais de 1%.

Por outro lado, as ações do Alibaba subiram 6,51% na sessão. O regulador antitruste da China impôs uma multa equivalente a US$ 2,8 bilhões contra o grupo  por abuso de posição dominante sobre rivais e comerciantes em suas plataformas de comércio eletrônico. A penalidade recorde no país, de 18,2 bilhões de yuans, equivale a 4% das vendas domésticas anuais da companhia, e surge em meio a uma onda de escrutínio sobre o império empresarial do fundador da empresa, Jack Ma.

O índice Eurostoxx, que reúne 600 ações de todos os principais setores de 17 países europeus recua 1,15%.

Os investidores evitam fazer grandes apostas antes da temporada de resultados corporativos, enquanto as varejistas britânicas reabriam conforme a economia ressurge de um rigoroso lockdown de inverno.

Na Europa, o governo do Reino Unido está relaxando as medidas de lockdown na Inglaterra a partir desta segunda. O governo está permitindo a reabertura de refeições a céu aberto, cabeleireiros, academias, lojas e atrações ao ar livre.

 

Veja os principais indicadores às 7h15 (horário de Brasília):

*S&P 500 Futuro (EUA), -0,18%
*Nasdaq Futuro (EUA), -0,15%
*Dow Jones Futuro (EUA), -0,25%
Europa
*Dax (Alemanha), +0,05%
*FTSE 100 (Reino Unido), -0,32%
*CAC 40 (França), +0,03%
*FTSE MIB (Itália), +0,43%
Ásia
*Nikkei (Japão), -0,77% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), -0,86% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), +0,12% (fechado)
*Shanghai SE (China), -1,09% (fechado)
Commodities e bitcoin
*Petróleo WTI, +0,35%, a US$ 59,33 o barril
*Petróleo Brent, +0,59%, a US$ 63,32 o barril
*Bitcoin, +0,66%, a US$ 60.010,59
Sobre o minério: **Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com alta de 2,58%, cotados a 1014 iuanes, equivalente hoje a US$ 154,89 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 6,55

2. Agenda

Na agenda econômica, destaque para o tradicional boletim Focus, que compila as projeções econômicas feitas por uma série de instituições, divulgado pelo Banco Central.

Os economistas do mercado financeiro reduziram mais uma vez suas projeções para o crescimento da economia em 2021, revelou o Relatório. A mediana das expectativas caiu de 3,17% para 3,08%. Já para 2022 a previsão é de que o Produto Interno Bruto (PIB) cresça 2,33%, mesma projeção da semana anterior. Em relação ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) a mediana das projeções subiu de 4,81% para 4,85% para este ano, oscilou para cima de 3,52% para 3,53% em 2022.

A previsão para o dólar também subiu. Os economistas agora enxergam a moeda valendo R$ 5,37 no final do ano, contra R$ 5,35 esperados na semana passada. Para o fim de 2022, a expectativa é de que o dólar vá a R$ 5,25, mesma previsão da última semana. Por fim, a projeção para a taxa básica de juros, Selic, subiu de 5,00% ao ano para 5,25% para 2021, mantendo-se em 6,00% ao ano para 2022.

Às 15h, serão revelados os dados da balança comercial.

O presidente do BC, Roberto Campos Neto, volta a falar a partir das 13h em videoconferência de banqueiros centrais promovida pela Secretaria-Geral Ibero-Americana.

Nos EUA, às 15h, sai orçamento mensal de março.

No Japão, o PPI subiu 1% na base anual em março, ante estimativa de alta de 0,5%. Já os pedidos preliminares de máquinas subiram 65% na base anual em março. Na Zona do Euro, as vendas do varejo subiram 3% na base mensal, ante estimativa de alta de 1,7%.

3. Orçamento no radar

Sem grandes novidades sobre o impasse sobre a sanção do Orçamento, o Valor Econômico informa que o governo elaborou um projeto de lei que retira travas da LDO que impediriam a reedição do BEm e do Pronampe. Com a sua aprovação, o Executivo planeja financiar os programas via edição de créditos extraordinários.

Não será necessário esperar a sanção do Orçamento de 2021, cujo prazo só se encerra no próximo dia 22. Muito menos, promover cortes numa programação de gastos já muito comprimida. Esse é, pelo menos, o plano da ala mais pragmática do governo federal.

4. Ritmo lento de vacinação

Segundo destaca o jornal Folha de S. Paulo, o governo federal já admitiu o ritmo lento de vacinação até o segundo semestre.

Marcelo Queiroga, ministro da Saúde vê dificuldade de fornecimento até que os EUA vacinem e diz precisar “persuadir” Jair  Bolsonaro.

“A partir do segundo semestre conseguiremos ter mais doses disponíveis. O maior país a vacinar sua população é os Estados Unidos. Depois que conseguirem vacinar a população deles, vamos ter mais doses, é a nossa expectativa”, avaliou Queiroga.

O Brasil teve 1.803 óbitos confirmados por covid-19 em 24 horas até a noite do domingo, totalizando 353.137 vítimas. Os novos casos positivados foram 37.017, de um total de 13.482.023 milhões.

Com o fim no domingo da fase emergencial, que havia começado em 15 de março, todo o estado de São Paulo volta nesta segunda à fase vermelha, na qual deve permanecer até ao menos 18 de abril. O fim da fase emergencial ocorre após uma leve queda na taxa de ocupação de UTIs no estado, que continua em 86%.

Atividades presenciais voltam a ser permitidas em escolas das redes pública e privada, desde que autorizadas pela prefeitura e com até 35% dos alunos em cada dia. Competições esportivas, como o Campeonato Paulista de Futebol, podem retornar, sem público. Cultos presenciais continuam proibidos, e o teletrabalho continua obrigatório para escritórios, atividades administrativas, repartições e outros serviços.

Certas medidas da fase emergencial foram mantidas, como o toque de recolher das 20h às 5h. Na cidade de São Paulo é mantido o esquema de rodízio noturno.

 

5. Radar corporativo

No final do pregão de sexta-feira, a Vale informou em comunicado que a Samarco Mineração ajuizou pedido de recuperação judicial perante comarca de Belo Horizonte para evitar que ações iniciadas por credores afetem a capacidade da empresa de manter suas atividades. A Samarco é uma joint venture entre a Vale e a BHP.

Nesta segunda, também ocorre  precificação de oferta de debêntures participativas da Vale que pertencem à União e ao BNDES.

Já a Rede D’Or anunciou a assinatura de um memorando de entendimentos vinculante para a aquisição de 51% do Hospital Nossa Senhora das Neves, marcando sua entrada no mercado de João Pessoa-PB (Estado com 423 mil beneficiários de saúde). “Esta é a segunda aquisição em menos de 7 dias e novamente com múltiplos atrativos e espaço para expansão e crescimento orgânico. Em nossa opinião, a notícia é positiva, pois confirma um dos pilares da nossa tese de investimento para a empresa – o crescimento inorgânico. Reiteramos nossa recomendação de compra e preço alvo de R$ 85 por ação”, destaca a equipe de análise da XP.

Ainda no radar de aquisições, o grupo de medicina diagnóstica Fleury anunciou na sexta a compra de participação majoritária na empresa de clínicas ortopédicas Vita. A companhia acertou acordo para adquirir participação de 66,7% na Vita Ortopedia Serviços Médicos Especializados e da Vita Clínicas Medicina Especializada por R$ 136,8 milhões. Segundo a companhia, a “Vita é referência em consultas e cirurgias ortopédicas assim como sessões de reabilitação, com corpo clínico composto por mais de 40 médicos e 80 terapeutas”.

O grupo farmacêutico Hypera, por sua vez, anunciou que acertou a venda de seu centro de distribuição em Goiânia para o fundo de investimento em logística Newport por R$ 231,46 milhões. Segundo a Hypera, o centro era dedicado à antiga operação de produtos de consumo da companhia e estava alugado a terceiros.

A Petrobras informou na sexta que seu Conselho de Administração aprovou na sexta a assinatura de acordo com a União, que estabelece as participações em cada contrato e o valor de compensação à estatal no caso de licitação dos volumes excedentes da Cessão Onerosa nos campos de Sépia e Atapu. O Contrato de Cessão Onerosa, celebrado em 2010, entre a Petrobras e a União, incluiu o exercício de atividades de exploração e produção nas áreas de Sépia e Atapu, em volume de produção limitado a 500 milhões de barris de óleo equivalente (boe) em Sépia e 550 milhões de boe em Atapu.

“Em 2019, diante da ausência de ofertas na licitação em regime de partilha dos volumes excedentes ao contrato de cessão onerosa das áreas de Sépia e Atapu, a Petrobras e a Pré-sal Petróleo S.A. (PPSA), qualificada como representante pela União, negociaram condições mais competitivas à concretização de nova licitação das áreas, em benefício de ambas as partes”, afirmou a companhia.

Ainda no radar da companhia, dois dos 11 nomes indicados para compor o Conselho de Administração da Petrobras foram considerados inaptos a assumir o cargo por terem atuado em empresas com relação direta com a estatal nos últimos três anos. A avaliação é do Comitê de Pessoas da estatal, formado por membros do atual colegiado da empresa e por especialistas independentes.

A estatal promove nesta segunda assembleia geral extraordinária (AGE) para definir os novos membros do conselho de administração.

Também em destaque, a Allied estreia na B3 na sessão desta segunda-feira, tendo definido o preço das ações na estreia a R$ 18.

Quer entender o que é o mercado financeiro e como ele funciona? Assista à série gratuita Carreira no Mercado Financeiro e conheça o setor da economia que paga os melhores salários de 2021.

The post Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta segunda-feira appeared first on InfoMoney.