(Bloomberg) — O rali de ações chinesas se transformou na maior onda vendedora global, o que chocou investidores pela forte reversão, apesar dos esforços do governo para desacelerar o ritmo de perdas.

Em apenas 14 sessões, o índice de referência do país CSI 300 despencou 14% em relação à máxima de 13 anos. A baixa se compara à queda de 3,3% do índice MSCI All-Country World. O mergulho enxugou mais de US$ 1 trilhão da bolsa e afetou ações de investidores de varejo que acumularam posições no pico com a aposta de que o Ano Novo Lunar do Boi seria auspicioso. A intervenção estatal na terça-feira interrompeu brevemente as perdas, mas a queda continuou após a medida.

Operadores agora se questionam sobre o limite, já que o CSI 300 está apenas a alguns dias de perdas antes de entrar em seu primeiro mercado baixista em dois anos. Também se perguntam se autoridades tomarão mais medidas para acalmar o mercado. A interferência do estado se tornou menos óbvia desde 2018, quando o governo supostamente liquidou alguns fundos mútuos que havia lançado três anos antes para comprar ações durante um crash.

Mas o governo atua há muito tempo para garantir que os mercados financeiros da China sejam estáveis, especialmente em torno de eventos importantes. O Congresso Nacional do Povo em andamento, um evento observado de perto e que anuncia as prioridades políticas, é uma dessas ocasiões. A turbulência nos mercados durante o CNP é atípica. A última vez que o CSI 300 perdeu mais de 1% durante o evento anual foi em 2014, e o ritmo atual de perdas seria o maior desde 2008.

Fundos estatais, conhecidos como “equipe nacional” da China, atuaram na terça-feira a fim de garantir a estabilidade durante o CNP, segundo pessoas a par do assunto. Um trader de Hong Kong, que não quis ser identificado, disse que entidades ligadas a fundos da China continental compraram ações ativamente por meio de links com Hong Kong na manhã de terça-feira.

Os esforços tiveram efeito inicialmente: o CSI 300 apagou uma queda de 3,2% e subiu 0,3% em pouco mais de uma hora na sessão pela manhã. No entanto, o indicador retomou a queda na parte da tarde e fechou em baixa de 2,2%, o menor nível desde dezembro. Não houve impacto significativo no mercado de crédito local da China, disseram operadores.

A Comissão Regulatória de Valores Mobiliários da China não respondeu de imediato a um fax para comentar se fundos estatais estavam por trás das medidas de terça-feira.

Estagnado em sua profissão? Série gratuita do InfoMoney mostra como você pode se tornar um Analista de Ações em 2021. Clique aqui para se inscrever.

The post Perdas em bolsa chinesa testam limite de intervenção estatal appeared first on InfoMoney.