Desde o episódio 66 percebemos que nossos ouvintes gostam muito de ouvir sobre ouro. Quando vale a pena? É proteção ou investimento? Não paga dividendos, e daí? Essas são algumas questões que surgem sempre que se fala na commodity aqui no Stock Pickers. Para ouvir o episódio desta quinta-feira clique no play acima, ou aqui.

Neste episódio trouxemos o Fernando Fontoura, da Persevera Asset Management, que investe em ouro, mas sem investir em ouro, através de uma ação, que também não é ação. 

Mas como?

Por meio de um BDR de uma mineradora focada em ouro. A Aura Minerals (AURA33) é uma mineradora que tem papéis listados originalmente na bolsa de Toronto, com direção predominantemente brasileira e ativos no Brasil, Honduras, México e Estados Unidos.

Segundo Fontoura, o investimento tem alguns prós em relação ao próprio ouro. Os principais são o pagamento de dividendos e o fato de, se o preço do ouro subir, a ação da Aura poder subir ainda mais, já que os geólogos e profissionais da empresa podem ganhar margem aumentando a eficiência em seus processos.

Por outro lado, como não existe almoço grátis, também há riscos que a commodity não tem: se a empresa cometer erros sua ação pode cair mesmo com o ouro subindo, ou cair ainda mais no caso de queda do metal. É o risco operacional.

Ouça a tese completa clicando no play, ou aqui.

Joias da base

Completaram a mesa nossas joias da base, o Matheus Soares e o Lucas Collazo. Há um ano eles estavam conosco gravando na Fonte Nova, em Salvador, e desde então apareceram muito pouco por aqui. Desde então eles arrumaram coisas mais importantes para fazer: o Collazo virou analista de fundos da Rico e o Matheus analista de ações da XP Investimentos, cobrindo small caps, o setor de saúde e o de educação. Clique no play para saber qual ação mais o ANIMA.  

The post Sobre quase investir em ouro e nossos meninos de ouro appeared first on InfoMoney.