SÃO PAULO – Com disparada de mais de 140% da sua ação no ano até a véspera, enquanto o Ibovespa tem queda de cerca de 13% no mesmo período, a fabricante de equipamentos elétricos, tintas industriais e produtos de automação e controle industrial Weg (WEGE3) justificou mais uma vez os motivos do forte desempenho no período – ao mesmo tempo que deixa questionamentos sobre até onde a ação pode chegar na Bolsa.

Após um já forte desempenho no segundo trimestre, a companhia divulgou seu resultado do terceiro trimestre apresentando um lucro líquido de R$ 644,2 milhões, alta de 54% ante o mesmo período de 2019, com a retomada da demanda de equipamentos de ciclo curto, além da manutenção do bom desempenho dos negócios de ciclo longo e controles de custos. “A melhora na demanda por equipamentos de ciclo curto ocorreu em todas as áreas de negócios, ainda que em ritmos diferentes entre elas”, afirmou a companhia no release de resultados.

Entre os negócios de ciclo longo, estão os motores de média tensão e painéis de automação destinados principalmente a projetos de papel e celulose e mineração, água e saneamento e óleo e gás, bem como na área de Transmissão & Distribuição (T&D). Já os equipamentos de ciclo curto são equipamentos como motores elétricos de baixa tensão.

A companhia teve como destaque o desempenho do mercado interno nas suas áreas de negócio, que registraram recuperação acima do esperado, além do aumento nas suas margens, muito por conta do controle na sua matriz de custos e despesas.

A receita operacional líquida alcançou R$ 4,8 bilhões, um aumento de 43,3% frente a igual intervalo do ano anterior, alta de 51,3% no mercado interno e de 37,8% no mercado externo (em reais).

As despesas de vendas, gerais e administrativas (VG&A) consolidadas totalizaram R$ 564,9 milhões,  27,1% superior na comparação anual. Mas, quando analisadas em relação à receita operacional líquida, representaram 11,8%, 1,5 ponto percentual menor ano a ano.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) subiu 61,5% ano a ano, a R$ 935,3 milhões, com a margem Ebitda ficando em 19,5% no período de julho a setembro, ante 17,3% um ano antes.

De acordo com o Itaú BBA, a Weg reportou números excelentes no terceiro trimestre mais uma vez, desta vez incluindo recordes de receita, Ebitda e lucro líquido. “As tendências positivas registradas no segundo trimestre persistiram no terceiro (produtos de ciclo mais longo estáveis ​​no Brasil e no exterior, cenário cambial benigno e efeitos de ajustes operacionais) e os produtos de ciclo curto se recuperaram substancialmente (mais rápido no Brasil do que no exterior).

A Levante Ideias de Investimentos aponta ainda que o forte resultado da Weg provém do efeito combinado entre i) uma recuperação surpreendente no desempenho do mercado interno dentro das suas áreas de negócio, que resultou em uma receita líquida quase 10% acima das projeções mais otimistas e ii) ganhos de margem operacional “além da conta”.

Contudo, sobre o primeiro ponto, em algum grau o desempenho das linhas de negócio internacionais foi decepcionante, com a receita externa em dólares crescendo 10% na comparação com o último trimestre e 1,7% ano contra ano. “O destaque foi o mercado europeu, que ajudou a apagar a queda nas vendas na América do Norte”, avaliam os analistas da casa de research.

Já sobre o segundo aspecto, os ganhos de margem vieram em todas as linhas do resultado. Além do efeito alavancagem operacional, ponto relevante no segmento industrial e que significa maior diluição dos custos fixos entre os produtos vendidos no período, a Weg também colheu os ganhos de produtividade oriundos das políticas de contenção de custos e despesas do último trimestre, das quais boa parte foram mantidas.

Assim, apontam, em outras palavras, a Weg beneficiou-se do “legado da pandemia” na sua gestão de custos e despesas.

Com isso, a Levante ressalta que a Weg colhe os frutos de uma diversificação interessante nas suas áreas de negócio. Além da exposição a diferentes mercados (Brasil, América do Norte e Europa principalmente) e até a diferentes moedas, as linhas de negócio revezam o destaque periodicamente. Se no trimestre anterior o ciclo longo tinha sido fundamental devido a sua resiliência, neste terceiro trimestre foi a vez do ciclo curto despontar no resultado.

Com isso, o indicador de Retorno sobre o Capital Investido (ROIC), medindo tanto a eficiência operacional da companhia como a eficiência na gestão dos investimentos, foi de 23,3%, alta de 4,1 pontos percentuais na base anual e de 1,7 ponto percentual na comparação com o segundo trimestre de 2020.

Potencial de alta limitado

Desta forma, em nota divulgada antes da abertura do mercado, a Levante destacou esperar impacto positivo no preço das ações da companhia no curto prazo, mas com potencial de valorização limitado. Nos últimos 30 dias, vale destacar, as ações WEGE3 apresentaram alta de 31,85% contra 3,7% do Ibovespa no período.

A questão sobre o patamar das ações se refletiu fortemente no desempenho das ações pós-resultado na sessão desta quarta-feira. Após chegarem a subir 4,38% nos primeiros minutos de negociação, os papéis logo zeraram os ganhos, operando entre leves altas e perdas durante boa parte da manhã desta quarta. Durante a tarde, os papéis intensificaram as quedas, fechando com baixa de 6,16%, a R$ 78,40.

Em relatório, os analistas do Morgan Stanley destacaram os bons números da companhia, mas apontaram que os investidores devem ter em mente que alguns fatores que contribuíram para o bom resultado podem se normalizar, pelo menos parcialmente, entre o quarto trimestre deste ano e 2022.

Quatro pontos foram destacados. Em primeiro lugar, alguns contratos de exportação foram precificados antes da desvalorização relevante do real e ainda estão repercutindo no resultado (portanto, com maior rentabilidade). Em segundo lugar, as atuais entregas de produtos de ciclo longo são resultado de uma carteira acumulada nos últimos 2 anos. Sobre isso, a WEG sinalizou que os novos pedidos ainda estão mais lentos do que o ritmo normal, o que pode afetar os resultados entre 2021 e 2022.

O terceiro ponto é que a demanda por motores de eletrodomésticos pode ter aumentado porque os fabricantes de equipamentos para grandes empresas estão recompondo seus estoques e, portanto, isso é algo que pode diminuir parcialmente nos próximos trimestres. Por fim, a Weg mencionou que a demanda no Brasil foi atendida pela indústria da construção, que está sendo sustentada por níveis históricos de taxas de juros baixos no país (contudo, o consenso espera que a taxa de juros aumente gradativamente nos próximos 2-3 anos).

A recomendação do Morgan para a ação WEGE3 é underweight (exposição abaixo da média do mercado) e preço-alvo de R$ 46,20, o que configura uma queda de 45% em relação ao fechamento da véspera. Na mesma linha, mesmo ressaltando que a companhia continua mostrando sua resiliência e trajetória de crescimento, batendo o consenso de mercado mais uma vez, o Credit Suisse também possui recomendação equivalente à venda para o papel.

Já o Itaú BBA aponta que vai seguir monitorando se a melhoria de ciclo curto é sustentável e acompanhar a carteira de pedidos de ciclo longo (novos pedidos desaceleraram no terceiro trimestre em equipamentos eletroeletrônicos industriais). Ainda assim, a visão é positiva sobre a companhia, apontam os analistas do banco, que possuem recomendação market perform (desempenho em linha com a média do mercado), com preço-alvo de R$ 55 (queda de 34%).

Também com recomendação equivalente à neutra para o papel, os analistas do Bradesco BBI ressaltam que continuam vendo a companhia como bem posicionada a longo prazo com um portfólio competitivo de produtos para energias renováveis, motores elétricos para caminhões, armazenamento de energia
e soluções para a indústria 4.0.

“No entanto, a segunda onda da Covid-19 na Europa combinada à queda em novos pedidos de ciclo longo em várias regiões de petróleo e gás, papel e celulose e água e esgoto podem trazer volatilidade nos preços das ações nos próximos trimestres”, avaliam. Os analistas atualizaram as estimativas para o preço-alvo da ação para 2021, que foi elevado de R$ 62 para R$ 73 (projeção de queda de 12,6%). A recomendação segue neutra principalmente devido ao valuation esticado, com o múltiplo do valor da empresa sobre o Ebitda esperado para 2021 de 40,4 vezes.

A Levante, por sua vez, ressalta que o principal catalisador das ações é a continuidade do ciclo de investimento no segmento industrial brasileiro, o marco regulatório do saneamento e o consequente crescimento de receitas e lucros em taxas elevadas.

Sobre isso, o BBI ressalta que, na véspera, houve um novo leilão bem-sucedido no setor de saneamento, com o consórcio Aegea vencendo o leilão da PPP de Cariacica, no Espírito Santo (veja mais clicando aqui).  Esta é uma concessão de 30 anos que exigirá R$ 580 milhões em investimentos, dos quais R$ 180 milhões serão investidos nos primeiros 5 anos. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) está estruturando o leilão de mais 15 projetos de saneamento a serem licitados nos próximos dois anos.

“As notícias são positivas para a Weg, pois a empresa está bem posicionada para fornecer: 1) motores elétricos, como bombas d’água; e 2) tintas especiais para empresas de saneamento. Com isso, segundo estimativas de uma empresa, o volume de investimentos no setor de saneamento pode representar um mercado endereçável de R$ 28 bilhões em receitas”, avaliam os analistas do banco.

As recomendações se dividem sobre a ação da companhia: de acordo com compilação feita pela Refinitiv com casas de análise, 4 recomendam compra, 5 manutenção e outras 4 venda dos ativos, em meio a questões sobre o bom desempenho operacional da empresa e o limite de alta para a ação após as recentes valorizações.

Assim, os investidores ficarão de olho na teleconferência de resultados da companhia, que acontecerá na próxima quinta-feira (22) às 11h (horário de Brasília) e que deve trazer mais indicações dos executivos sobre os planos da empresa e o que ela está vendo de oportunidade dentro do seu mercado. Na sessão, a avaliação de que as ações já subiram demais parece predominar no mercado.

Por Dentro dos Resultados
CEOs e CFOs de empresas abertas comentam os resultados do ano. Cadastre-se gratuitamente para participar:

Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.

The post Weg mostra por que ação é a maior alta do Ibovespa em 2020 – mas analistas veem desafios para papel subir mais appeared first on InfoMoney.